PERSPECTIVA : BRUSINOX COMEÇA 2020 COM CRESCIMENTO SUPERIOR AO MERCADO

Pela quinta vez consecutiva, o Comitê de Política Monetária do Banco Central decidiu, nesta quarta-feira (5) reduzir a taxa básica de juros, que passou de 4,5% para 4,25% ao ano. Com a decisão, a taxa Selic atinge uma nova mínima histórica. É o menor patamar desde 1999, quando o Brasil adotou o regime de metas para a inflação. O atual ciclo de queda da Selic se iniciou em julho do ano passado. A medida já era esperada pelo mercado financeiro. Na semana anterior, os analistas consultados pelo boletim Focus (pesquisa semanal do Banco Central) estimaram que a taxa Selic fosse reduzida para 4,25% a.a. e mantida assim ao longo do ano. A expectativa é que ela só volte a subir em 2021.

Já a estimativa da Confederação Nacional da Indústria é de que os investimentos no setor devem ter uma alta de 6,5% em 2020, empurrando o crescimento da indústria brasileira para 2,8% e da economia para 2,5%. 

Seguindo esse aquecimento da economia, iniciado no ano passado, o mês de janeiro também superou as expectativas em vendas, na Brusinox. Com as exportações subindo ano após ano, a meta da empresa agora é superar as exportações de 2019, em 15%. A intenção é de que as exportações representem 40% do faturamento das vendas da empresa até o final do ano.

Além disso, a Brusinox comemora mais uma parceria com um cliente da Venezuela. Serão mais duas linhas de classificação de camarão entregues no país, chegando a mais de trinta equipamentos instalados. Países como México, Índia, Sri Lanka, Madagascar e Moçambique também utilizam classificadoras com a marca Brusinox. A linha pode atingir até 3.000 Kg/h de camarões classificados com perfeita precisão em até 5 tamanhos. A Brusinox vem constantemente ganhando a preferência e a confiança das indústrias do ramo dentro e fora do Brasil, competindo diretamente com outros grandes fabricantes mundiais.